quinta-feira, 3 de maio de 2012

Bonga Kwenda - Angola '72 & Angola '74 [1972 & 1974]


José Adelino Barceló de Carvalho, mais conhecido como Bonga Kwenda - ou só Bonga - é de longe o mais famoso nome do semba angolano. A música africana que aqui no Brasil virou samba, lá em Angola virou semba - e de fato os dois gêneros são muito parecidos. O nome vem de masemba, que significa umbigada - o passo de dança primitivo que deu origem a toda uma cultura de música e dança urbana em Angola, que hoje em dia, além do próprio semba, também inclui o kuduro e a kizomba. O semba que se faz atualmente já é bastante estilizado, mas o som que Bonga fazia está em algum lugar entre a sofisticação de um Chico Buarque e o som de raiz de Clementina de Jesus.


Bonga tem uma vida tão interessante quanto sua música. Quando era pequeno, era o que corria mais rápido entre os amigos das favelas onde vivia. Anos depois, durante a década de 60, tornou-se recordista angolano de atletismo, recebendo convites para participar de competições internacionais na Europa - onde continuou batendo recordes. Angola, na época, era uma colônia de Portugal, e por isso poder viajar livremente fora de seu país era um privilégio para Bonga - que também era politicamente consciente da situação de sua terra natal. Em suas viagens, fez contato com vários angolanos exilados e portugueses insatisfeitos com o Estado Novo de Portugal: e graças a toda essa movimentação política foi obrigado a se exilar em Roterdã, na Holanda, onde em 1972 gravou seu primeiro disco, Angola '72. Foi o suficiente para que fosse emitida uma ordem de prisão para ele em Angola, e nos próximos anos teve de continuar seu exílio pela Europa e pelos Estados Unidos, onde começou a desenvolver sua carreira internacional, com o objetivo de fazer a música africana conhecida e respeitada no resto do mundo ocidental. Em 25 de Abril de 1974, no dia da Revolução dos Cravos que acabou com a ditadura de Portugal, lança seu segundo disco: Angola '74. Quando no ano seguinte a Angola conquista sua independência, Bonga pôde voltar, aclamado como símbolo de liberdade e de luta pela igualdade e respeito.

São esses dois primeiros discos gravados em exílio que trago aqui:

Angola '72


Tracklist:

01 - Uenqi Dia Ngola
02 - Balumukeno
03 - Ku Tando
04 - Mona Ki Ngi Xica
05 - Kilumba Dia Ngola
06 - Muadikime
07 - Luanda Nbolo
08 - Mu Nhango
09 - Paxi Ni Ncongo
10 - Muimbo Ua Sabalu

Angola '74



01 - Sodade
02 - Venda Poro
03 - Kubangela
04 - Makongo
05 - Roots
06 - Ghinawa
07 - Marika
08 - Ngana Ngonga
09 - Ai-Ue Mama

Clique na capa dos álbuns pra baixar.

4 comentários: